Compartilhe com seus amigos!

29 minutos de leitura

Se você está por dentro do cenário ou atua dentro do marketing digital já deve ter ouvido a palavra buyer persona e brand persona ou mais específicamente a palavra persona? O que é uma persona? persona é apenas uma palavra técnica que profissionais em marketing utilizam para se referir a uma pessoa fictícia que representará seu cliente ideal ou marca, mas o que buyer persona e brand persona significam? Continue lendo e descubra!

 

Sinta-se a vontade para pular para o tópico que mais te interessa:

 

 

 

O que é uma buyer persona?

 

Exemplo de buyer persona de uma academia

Uma buyer persona é uma descrição detalhada de um personagem fictício que representa seu público alvo. A Persona não é uma pessoa real, mas uma pessoa fictícia que incorpora as melhores características de seus potenciais clientes.

 

Você dará a essa persona um nome, detalhes demográficos, interesses e características comportamentais. Você precisa compreender os objetivos da persona, dores e padrões de compra.

 

Você pode dar para as personas uma cara utilizando fotos de banco de imagens. Algumas empresas vão mais longe fazendo uma persona de papelão para colocar dentro da empresa.

 

A ideia é pensar a respeito e falar com esse modelo de cliente como se fosse uma pessoa real. Isso irá permitir com que você consiga desenvolver através do marketing mensagens direcionadas ao seu cliente ideal. Sua buyer persona irá orientar tudo desde o desenvolvimento do produto até a voz da marca nas redes sociais.

 

Considerando o fato que diferentes grupos de pessoas podem comprar seus produtos por variadas razões, você talvez precise criar mais de uma persona. Não é possível você conhecer cada cliente de forma individual. Porém é possível você criar uma persona para cada segmento de pessoas de sua base de clientes.

 

Como o seu negócio deve utilizar a buyer persona

 

 

1. Repense o que você faz através da perspectiva de seu cliente

 

Analistas de marketing digital geralmente utilizam palavras complicadas nos quais o seu público pode não compreender. Com buyer personas você será lembrado que as pessoas, são pessoas reais que utilizam as redes sociais e engajam com seu conteúdo, e que você deve evitar utilizar essas palavras complicadas.

 

As buyer personas fazem com que você foque em resolver os problemas dos clientes ao invés dos seus.

 

Pense sempre nas suas personas todas as vezes que for decidir sua estratégia de marketing digital.

 

Uma buyer persona permite você questionar se suas recentes campanhas de anuncios nas redes sociais tratam das necessidades e das dores de pelo menos uma buyer persona? Caso não, você tem um motivo para repensar o seu plano de marketing, não importa o quão bom pareça ser.

 

Construa sua estratégia de mídias sociais baseado em ajudar suas personas alcançarem seus objetivos e consequentemente você irá construir uma conexão com os clientes de verdade que as personas representam. Tudo isso se resume em aumentar as vendas enquanto você cria lealdade e confiança com sua marca.

 

2. Direcione seus anúncios nas redes sociais de forma eficiente

 

Anuncios nas redes sociais oferecem ótimas opções de segmentação. Tendo suas personas definidas, você conseguirá criar ads que falam diretamente com o público que você segmentou. Então, utilize a possibilidade de segmentar os anúncios nas redes sociais para falar com as pessoas certas.

 

Você pode criar conteúdos de anúncios de forma separada para cada uma de suas buyer personas que foram definidas. Esse nível avançado de segmentação possibilita com que você aumente sua conversão e melhore as campanhas.

 

3. Aumente o ROI com o “Buyer Persona Spring”

 

Desenvolvido por professores e autores como Aleksej Heinze, Gordon Fletcher, Tahir Rashid, Ana Cruz, o Buyer Persona Spring é um modelo feito para conectar os objetivos do seu negócio com sua buyer persona. É denominado spring (mola), pois possui 3 loops (as curvas da uma mola) distintas:

 

  • Conteúdo: Quais tipos de conteúdos falarão com sua buyer persona?

 

  • Canais: Quais canais sociais sua buyer persona mais utiliza?

 

  • Dados: Bons dados possibilitam que você monitore seus esforços, faça relatórios de seus esforços e revise sua estratégia se for necessário.

 

Cada loop possui 4 pontos de atenção nos quais você deve planejar, agir, observar e refletir.

 

Nós abordaremos na próxima seção com mais detalhe a respeito da coleta e planejamento dessas informações.

 

Como criar uma Buyer Persona

 

 

Reúna dados conforme à medida que executa cada uma dessas etapas.

 

1. Faça uma pesquisa de público completa

 

Suas buyer personas devem ser baseadas em dados da vida real, não instintos. 

 

Compile dados de clientes já existentes e de públicos nas redes sociais

 

Considere detalhes como:

 

  • Idade

 

  • Localização

 

  • Língua

 

  • Poder de compra e padrões

 

  • Interesses

 

  • Desafios

 

  • Estágio da vida

 

No caso de B2B, considere também o tamanho da empresa e quem toma as decisões de compra.

 

Consiga essas informações através de:

 

 

  • A base de dados de seus clientes

 

 

Saiba quais redes sociais seu público utiliza

 

Você precisa alcançar seu público pelos canais que eles utilizam. Comece por aprender onde eles passam o tempo online. Algumas ótimas ferramentas para ajudar são:

 

  • Hootsuite Insights com tecnologia da Brandwatch: Para encontrar sites relevantes, hashtags e autores

 

  • Keyhole.co: Encontre os principais sites de referência para obter hashtags relevantes

 

 

Dê uma olhada na concorrência

 

Tente obter informações de pesquisas de público alvo que seus competidores já fizeram, utilizando ferramentas como:

 

  • Buzzsumo: Para encontrar conteúdos com bastante compartilhamento nas redes sociais, incluindo dados de engajamento.

 

  • Search Streams: No dashboard do Hootsuite, prepare streams para monitorar o post dos seus competidores e encontrar padrões nas hashtags, tipos de posts e estratégia de conteúdo.

 

2. Identifique dores dos clientes

 

Quais dores e problemas seus potenciais clientes estão tentando resolver? O que está atrasando eles para chegar até o sucesso? Quais obstáculos eles se deparam para alcançar seus objetivos?

 

Uma forma de descobrir é fazer o social listening e o social media sentiment analysis.

 

Colocar search streams para monitorar menções de sua marca, produtos e competidores te dará uma visão em tempo real do que as pessoas estão falando sobre você na internet. Você pode aprender o porque eles gostam do seu produto ou quais partes da experiência do cliente devem ser trabalhadas para melhorar.

 

Também é bom você falar com seu time de customer service para saber quais são as perguntas que eles mais recebem. Descubra se eles podem te ajudar a encontrar padrões a respeito de quais grupos tendem a encarar diferentes tipos de desafios. Dá também pra você perguntar pra eles coletarem frase de alguns clientes de verdade nos quais você pode utilizar para dar mais profundidade a sua persona.

 

3. Identifique os objetivos do cliente

 

Esse aqui é o oposto das chamadas “dores”. As dores são problemas que o seu potencial cliente está tentando resolver. Objetivos ou aspirações seriam coisas positivas que eles querem conquistar.

 

Esses objetivos talvez sejam pessoais ou profissionais, dependendo dos tipos de produtos e serviços que você vende. O que motiva seus clientes? Qual o objetivo deles?

 

Esses objetivos talvez estejam diretamente relacionados às soluções que você pode fornecer, mas não precisam ser. Isso aqui é mais para conhecer seus clientes ao invés de tentar combinar seus clientes exatamente com as características e benefícios do seu produto.

 

Os objetivos de suas personas são importantes mesmo que não batam especificamente com o que seu produto entrega. Eles podem servir para formar a base da sua campanha ou simplesmente para ajustar o tom e abordagem de marketing.

 

Social Listening pode ser uma boa maneira para reunir essas informações. Assim como também o seu time de customer service foi uma boa fonte para obter insights das dores, seu time de vendas pode ser uma boa fonte de insights sobre os objetivos dos clientes.

 

Seu time de vendas fala com as pessoas que estão pensando em utilizar seus produtos, eles possuem uma compreensão profunda do que os clientes querem conquistar ao usar seus produtos e serviços.

 

Peça para eles te darem frases verdadeiras que mostram a experiência do cliente. Você também pode perguntar pra eles por dicas para superar as objeções dos potenciais clientes no que diz respeito a vender produtos ou serviços, e isso nos leva ao próximo tópico..

 

4. Entenda como você pode ajudar

 

Agora que você compreende as dores e objetivos de seus clientes, é hora de descobrir como seus produtos e serviços podem ajudar. Como parte desta etapa, você precisa parar de pensar na sua marca em termos da característica do seu produto e aprofunde mais na análise dos benefícios que você oferece aos clientes.

 

Pode ser difícil para analistas de marketing digital tirarem essa mentalidade focada nas  características do produto e por isso que buyer personas são tão importantes. Eles te ajudam a direcionar seu pensamento e a considerar seus produtos e serviços do ponto de vista de quem está comprando.

 

A característica é o que o seu produto é ou faz. Um benefício é como o seu produto ou serviço torna a vida de seu cliente mais fácil ou melhor.

 

Faça três perguntas chaves para cada dores e objetivos que você coletou:

 

  1. Como podemos ajudar? Coloque a resposta de forma clara em uma frase e adicione no template das personas

 

  1. Quais são as principais barreiras de compra do seu público? E como você pode ajudar a superar?

 

  1. Onde estão seus seguidores na jornada de compra? Estariam eles fazendo uma pesquisa a respeito ou preparados para comprar? Procurando por reviews?

 

Novamente, aqui, falar com seus colegas, que lidam frente a frente com seus clientes pode ser uma ótima forma de aprender. Também pode ser uma boa ideia consultar seus clientes através de uma pesquisa por formulário nas redes sociais.

 

5. Crie Buyer Personas

 

Agora, colete tudo o que você pesquisou e comece procurando por características comuns. Conforme você for agrupando essas características, no final você irá acabar tendo a base da persona de seu cliente.

 

Vamos supor que você identifique um grupo de clientes que são pais com na faixa dos 30 anos de idade, vivem em Curitiba, gostam de acampar e são donos de motos. Legal, agora é hora de pegar esse conjunto de características e transformá-las em uma persona que você possa identificar e direcionar sua mensagem.

 

De um nome para a sua buyer persona, um cargo, uma casa e outras características que irão defini-lo. Sua persona deve parecer uma pessoa de verdade.

 

Tente obter a mesma quantidade de informações que você teria em um site de encontros. Ou a quantidade de informações que você provavelmente obteria de alguém em uma curta conversa num avião ou ponto de ônibus. Não se esqueça de incluir dores e objetivos.

 

Por exemplo, o grupo de pais que vivem na cidade, são donos de motos e gostam de acamparem podem ser representados pelo nome persona “Ricardo Moto”. Usando como base as pesquisas que você fez, você tem que dar a persona Ricardo características que o tornam ele como se fosse uma pessoa de verdade.

 

  • Ele tem 40 anos

 

  • Possui dois filhos, um de 4 anos e outro de 1

 

  • Vive em Curitiba

 

  • Trabalha em uma empresa de tecnologia

 

  • É dono de uma moto

 

  • Gosta de acampar nas regiões da Serra.

 

  • Possui tempo de férias bastante limitado

 

e assim por diante.

 

Ter uma lista de características não quer dizer que você possui uma persona. Uma persona é uma descrição realista de uma pessoa que representa um segmento da sua base de clientes.

 

Claro, nem todas as pessoas dentro desse grupo de clientes tem as mesmas características da sua persona. Mas essa persona representa esse grupo de clientes para você e permite com que você pense a respeito deles de uma forma humana ao invés de como eles fossem apenas dados.

 

É muito mais fácil falar com o Ricardo do que falar com todos os “homens” em geral. Ou mesmo “todos os pais de 35 anos de idade que possuem motos.”

 

À medida que você desenvolve as personas de seus clientes, descreva as suas personas a respeito do que são agora e quem elas querem ser. Isso irá permitir com que você pense como os seus produtos e serviços podem ajudar eles a chegar no lugar de ambição deles.

 

3 Exemplos reais de buyer persona

 

1. Amsterdam Dance Event

 

O Amsterdam Dance Event (ADE) é um festival anual de música eletrônica e a conferência acontece, como o próprio nome menciona, em Amsterdã.

 

Uma pesquisa chamada de Survey Planet feita através do Facebook deu os tijolos da construção para fazer a buyer persona com as seguintes características:

 

  • Idade 22 à 29

 

  • Ativo nas mídias sociais

 

  • É estudante ou trabalha

 

  • Já foi no ADE mais de uma vez

 

  • Vai no ADE para escutar música eletrônica com os amigos, encontrar pessoas como ele e que se expressam.

 

  • Possui uma quantidade mediana de renda disponível

 

  • É sensível aos preços de ingressos e gastos no site

 

No entanto, para ser uma verdadeira buyer persona, precisaria ser mais específico. Lembrando novamente, uma buyer persona deve descrever uma pessoa, não somente uma série de características. Então, para levar isso ao próximo nível, vamos criar uma persona para ADE, levando em consideração dicas dadas neste post.

 

Buyer Persona: Dancing Dave

 

  • Tem 27 anos e estuda business na universidade de amsterdã

 

  • Visita baladas com frequência

 

  • Foi no ADE no ano passado com dois amigos da escola

 

  • Trabalha meio-período na biblioteca da universidade

 

  • Compartilha e gosta no Instagram Stories imagens da vida noturna em amsterdã 

 

  • Segue o ADE no Facebook para que seja notificado cedo a respeito dos ingressos

 

2.  Fan fit

 

Fan fit é um aplicativo que surgiu de um projeto na universidade de Salford na Inglaterra. Combina monitoramento fitness com notícias de esportes e networking social através de ligas pessoais. Times do Reino Unido podem utilizar o app para engajar com fãs.

 

Dois professores de business trabalharam com os fundadores do app para definir as buyer personas em um estudo de caso na universidade que o app foi criado. E esses não são quaisquer professores de business. Eles são os mesmos professores de business que criaram o Buyer Persona Spring mencionado antes.

 

Aqui o que eles descobriram:

 

Persona 1 (B2C): Jim Watson, fã de esporte:

 

  • Tem 52 anos, motorista de van que vive em Salford com sua esposa

 

  • Tem ingressos do Salford Red Devils para a temporada

 

  • Gosta bastante de futebol

 

 

  • É um ex-atleta que acabou ganhando peso e pensou em comprar um monitorador fitness, mas não tem certeza de qual comprar

 

  • Está motivado para usar um App para melhorar a saúde e qualidade de vida depois de um amigo ter sofrido um pequeno infarto

 

Persona 2 (B2B): Andrea Rogers, trabalha no marketing para um time esportivo

 

  • É representante sênior de marketing e comunicações de um time de futebol grande

 

  • Gerencia um pequeno time de profissionais de marketing social

 

  • tem cerca de 30 anos e recém-casada

 

  • Utiliza o Facebook e Instagram para conectar com a familia, e Twitter e Linkedin para ter networking Profissional

 

  • Interessada em Apps, IoT, realidade virtual e eSports

 

  • Quer conectar o time com mais fãs mulheres jovens

 

  • Está frustrada porque seu time não planeja fazer o próprio app

 

3. HaparandaTornio centro de informação turística

 

Esse escritório de turismo das cidades gêmeas de Haparanda, Suécia e Tornio, Finlândia, necessitava de uma estratégia de marketing digital mais clara. Um estudante de business administration da universidade de ciências aplicáveis da lapônia trabalhou com o centro de turismos para desenvolver uma persona como parte de uma novo plano de marketing digital.

 

Buyer persona: Maria Suomalainen

 

  • Nasceu na Alemanha mas vive em Tornio

 

  • Faixa de idade entre 25 – 34 anos e possui dois filhos

 

  • Viaja com a família

 

  • Tem um diploma de bacharelado

 

  • Usa o site do centro de turismo para encontrar eventos, restaurantes, lugares de visita e lojas.

 

  • Está insatisfeita com as rede sociais sem graça do centro de turismo, que possui carência de conteúdos visuais e interação com os visitantes

 

 

  • Prefere postagens em formatos de vídeos, fotos e de texto e também stories do Instagram.

 

O Centro de Turismo está utilizando mais conteúdos visuais agora, compartilha bastante eventos e possui botões de compartilhamento para o Twitter, Facebook e Pinterest no seu site.

 

Um problema dessa buyer persona: É que nenhuma pessoa possui entre 25 à 34 anos ao mesmo tempo. Embora essa idade descreva o público-alvo desse centro de turismo, a buyer persona deve ter uma idade específica.

 

Pense na sua buyer persona sempre que tomar uma decisão a respeito dos conteúdos de suas redes sociais ou estratégia de marketing em geral. Faça as personas de forma correta e você criará uma conexão real com os seus clientes, que irá aumentar as vendas e a lealdade deles com a sua marca.

 

O que é uma Brand Persona?

 

Sendo mais específico, uma brand persona é um personagem fictício ou avatar que representa o conjunto de características da personalidade da sua empresa como as atitudes e valores que sua empresa expressa através das ações, fazendo com que seu público consiga distinguir sua empresa dos concorrentes. Portanto uma brand persona serve para dar a uma forma para a sua empresa, para que ela tenha suas ações ordenadas. Pra ser mais claro, uma brand persona é aquilo que permite que sua empresa tenha uma cara.

 

A sua empresa contribui para o mundo de alguma forma, e isso pode ser bom ou ruim para a personalidade da sua marca. E esse impacto pode ser causado através das cores que você escolhe colocar no logo da sua marca ou sua paleta de cores que irá definir o humor da empresa ou também o texto de copywriting na landing page do seu site. E você só conseguirá obter uma coerência e assertividade com essas ações através de uma Brand Persona.

 

Porque você precisa de uma Brand Persona?

 

 

Então, porque sua empresa precisa de uma cara? Como isso ajudaria a sua empresa? Existem duas razões pelas quais sua empresa precisa de um “rosto.”

 

O primeiro motivo é que ao fazer o brand persona te força a fazer o que já deveria ter sido feito a muito tempo. Basicamente, fazer uma brand Persona faz com que você descubra quem sua empresa realmente é e quem ela quer ser. Conforme uma empresa se empenha para fazer uma persona, ela irá descobrir um problema ignorado, descobrir quem ela é, e mais importante, quem ela quer ser. Fazer isso pode fazer sua empresa renascer, esse é o momento que a sua empresa pega a sua própria identidade nas mãos e a leva a sério, o momento que a empresa pode rearquitetar o seu próprio renascimento e futuro.

 

“Todos os clientes são público da marca, mas nem todo público é cliente da marca.”

 

A segunda e mais importante razão do porque uma empresa precisa de um rosto é porque irá ajudar sua empresa a conectar-se com o público. Uma brand persona irá permitir que seu público se identifique com sua marca e portanto com sua empresa.

 

Para que sua empresa venda produtos e serviços, primeiro ela precisa desenvolver um relacionamento com os clientes. Esse relacionamento é o que permite com que seu público interaja com sua marca.

 

Todos os clientes são públicos da sua marca, mas nem todo público é cliente da sua marca. Fazer sua marca ter uma personalidade permite transformar o público que consome o conteúdo do seu site em cliente, e eventualmente até mesmo em clientes que irão defender sua marca. Por quê? Todas as grandes marcas começam com algo que as diferencia a respeito da sua personalidade de marca, no qual permite com que o público se identifique com ela.

 

Uma vez que um público começa a se identificar com uma marca, eles enxergam a marca como parte deles. Em suma, eles veem sua marca como algo que não podem viver sem e também como algo que valida todas as suas escolhas.

 

Essa identificação é um tipo de apreciação e quando clientes desenvolvem essa apreciação com uma marca, eles desenvolvem também um apego de longo-termo com ela, por consequência irá aumentar a retenção de clientes e irá construir uma lealdade vitalícia com a marca.

 

Exemplo de personalidade de marca

 

Vamos dar uma olhada em um exemplo de personalidade de marca. Se você pensa em marcas icônicas como a Apple, você consegue ver como uma personalidade de marca impacta a base de uma empresa. O público da Apple não são clientes típicos. Eles são muito mais. Eles são evangelistas da marca. São pessoas que possuem uma identificação tão grande com a brand persona da Apple, que acabam desenvolvendo uma devoção religiosa pela marca.

 

Os produtos da Apple não somente são produtos de qualidade,  mas eles também desenvolvem um relacionamento com o cliente de longo-termo. A Apple possui clientes que são tão devotos a sua marca, que os tornam dispostos a pagar duas vezes mais por seus produtos, também como a comprarem todos produtos que logo saem, assim como também a entrar em comunidades e fóruns na internet que falam a respeito da Apple.

 

Sua persona possui  em suas casas, produtos da Apple por todos os lados, utilizam camisetas com a maçãzinha, e expressam seu orgulho de possuir os produtos da empresa para os amigos. Ser um entusiasta da Apple dá a eles um status social e uma comunidade, e ajuda a estabelecer e manter amizades com pessoas que gostam da marca.

 

Não sei se você já leu os inúmeros artigos de fãs doidos pela marca que fazem bolos de casamento inspirados em produtos da Apple. Isso tudo acontece devido a brand persona da Apple, no qual convida as pessoas a mais de três gerações para se conectar profundamente com a marca, tornando quase impossível fazer com que esses clientes se separem da marca.

 

Alina Wheeler fala a respeito do poder da marca de conectar e impactar as pessoas emocionalmente.

 

“Conforme os concorrentes criam infinitas escolhas, as empresas buscam maneiras de fazer os clientes se conectarem emocionalmente, tornando as empresas insubstituíveis, e também criando relacionamentos duradouros. Uma forte marca consegue se destacar em um mercado bastante competitivo. As pessoas se apaixonam por marcas, confiam nelas e acreditam em sua superioridade. A maneira como uma marca é percebida contribui para o seu sucesso, independente se é uma startup ou um produto.”

 

 

Mas se fossemos descascar as camadas da brand persona da Apple o que você encontraria? Você encontraria que a Apple possui uma personalidade clara que exibe as seguintes características. A brand persona da Apple é:

 

  • Brilhante

 

  • Apaixonada

 

  • Simples (ao invés de confuso ou complexa)

 

  • Inovadora

 

  • Rebelde

 

  • Elegante

 

E se fossemos utilizar uma palavra para descrever a marca, nós provavelmente escolheríamos “Revolucionária”, que é a essência dessa marca que é desafiar a estrutura de poder enquanto simultaneamente, inaugura um futuro. As pessoas que se identificam com a Apple também acreditam que são brilhantes, apaixonadas, simples, inovadoras e rebeldes.

 

Uma das jogadas mais inteligentes da Apple foi colocar literalmente as caras dos maiores inovadores do mundo atrelado a marca com a campanha “Think Different” (pense diferente), novamente associando a própria marca como o herdeira de uma longa linha de inovadores e rostos icônicos que abalaram o mundo. 

 

Mais importante ainda, a Apple não está mais criando os grandes produtos que costumavam fazer. A qualidade caiu significantemente depois que o Jobs saiu da empresa. Surpreendente, a Apple não perdeu seus clientes, mesmo depois da qualidade ter caído. Na verdade, a clientela da Apple continua crescendo. O que a história da marca da Apple nos ensina é que quando branding é feito de forma correta, um cliente prefere comprar a marca ao invés do produto. A marca se torna o eixo que mantém a empresa em pé. Por estas razões, fica claro que as empresas deveriam tornar como prioridade o desenvolvimento de uma brand persona e levar o processo a sério, pois falhar em fazer isso significa que você nunca irá criar autoridade para atrair e reter os clientes.

 

5 passos para criar uma “Brand Persona”

 

Então, quais são as coisas básicas para você começar a desenvolver uma brand persona? Abaixo nós fornecemos uma planilha com uma série de exercícios para completar que irá colocar sua brand persona no caminho certo. Marcas nunca são feitas de forma isolada, mas esse checklist abaixo é útil para aqueles que trabalham com marketing digital em pequenas empresas ou startups e estão começando a ter seus brainstorms sobre como vai ser a marca. Para que os exercícios nesta planilha sejam bem sucedidos, o time de marketing deve ir para uma sala e fazer um brainstorm utilizando as perguntas abaixo como ponto de partida.

 

Passo 1: Características da marca- Faça um brainstorm e selecione cinco palavras que melhor descrevem a personalidade de sua empresa. Embaixo temos 25 palavras que muitas empresas utilizam quando desenvolvem sua brand persona.

 

 

Essa lista não é completa, mas serve como ponto de partida. Novamente, você pode sentir a necessidade de escolher mais de cinco características, mas escolher mais de cinco seria fugir do sentido desse exercício. Escolher somente cinco atributos ajuda sua empresa a priorizar e simplificar sua mensagem. Faça o trabalho duro e elimine os atributos que não são prioridade. No começo você pode ter entre 20 a 30 características, mas quando terminar você deve possuir apenas cinco.

 

Quando terminar de selecionar os cinco atributos, resuma a lista em uma só palavra que você gostaria que representasse sua marca. Essa será então a palavra que irá direcionar sua empresa enquanto que as outras quatro estarão ali só para dar suporte.

 

Passo 2: Cor da marca: Selecione 3 cores que você acredita que expressam a característica principal que você escolheu no exercício acima. Cores são essenciais para transmitir humor e sensação. Cores são quentes ou frias dependendo de onde elas estão no espectro e todas as cores estão associadas a atributos específicos. O azul, por exemplo, é associado a confiança e estabilidade. Muitas grandes marcas escolhem o azul por essa razão. O vermelho é associado à paixão e energia. O verde é associado com saúde, vitalidade e frequentemente com prosperidade. Aqui embaixo temos um resumo das cores e as qualidades que elas são comumente associadas.

 

Passo 3: Mascote da marca/Modelos de Pessoas: Selecione três animais que você acredita que mais se aproximam das melhores qualidade que você escolheu no primeiro exercício. Sim, eu sei. Tudo isso parece estranho e sem base científica, e adivinha só? É verdade. Mas confie. Isso pode ser um exercício chato ou às vezes embaraçoso de se fazer, mas pode ajudar a dar um zoom na imagem que você quer que sua empresa transmita. Você possui uma empresa de carros ou faz sapatos de corrida? porque não escolher um animal ágil e rápido como o jaguar ou a pantera? Você possui uma empresa de construções? Porque não escolher um castor, no qual é conhecido por ser um construtor? Possui uma escola ou uma universidade? Por que não escolher um elefante conhecido por sua sabedoria e memória? Uma empresa de brinquedos? Por que não escolher uma lontra brincalhona ou um panda vermelho?

 

  • Exercício alternativo: escolha três celebridades; estrela de cinema, músico, estrela do esporte, etc, que também mais se aproxima da personalidade da sua marca. Sua empresa vende roupas ou é de fashion? Porque não escolher Audrey Hepburn ou Nicole Kidman, que são ambas sofisticadas e conhecidas por serem ícones fashion. Sua empresa não possui fins lucrativos ou vende música? Porque não escolher o James Dean ou outras celebridades conhecidas por serem rebeldes e daora? Sua empresa é uma empresa de tecnologia, no qual precisa transmitir velocidade e eficiência, porque não escolhe o Daniel Craig ou outros atores do 007. Consegue entender?

 

Passo 4: Tom da marca: Selecione três sons para a trilha sonora da sua empresa. Quando sua empresa fala, qual tom ela deveria atingir? Conforme sua empresa cresce, você irá fazer eventos nos quais você terá que certamente escolher uma música. Mas nós não precisamos pensar nesse exercício literalmente. Nós só precisamos imaginar que todos os pontos de contato da empresa transmitem um tom, sendo o cartão de telefone da sua empresa, e-mail ou o outdoor. Grandes marcas dominam a arte do tom e elas utilizam a seu favor. Seria o tom da sua empresa sombrio e sincero? Animado? Ou ousado e extravagante? Qual música você colocaria como trilha sonora da sua marca?

 

Passo 5: Voz da marca: Agora, tente escrever em um papel como sua marca fala. Por exemplo, como sua marca diria Olá?’ seria “Olá”, “Oi”, “Ei?”, “E ai?”, “Como vai?” ou “Bom dia!” O quão formal ou informal seria a fala da sua marca? O quão íntimo seria? O quão entusiasmado ou não seria? Falaria com pontos de exclamação ou com interrogação? Ela é irreverente ou séria? A voz de uma personalidade de marca tem um grande impacto na forma de como a marca é percebida. Também determina se o público irá se engajar com a marca e desenvolver uma afinidade com ela.

 

 

Depois de terminar a planilha, talvez seja legal você ver quais dos 12 arquétipos de personalidade ou os 12 arquétipos de personagens míticos universais que sua brand persona se encaixa. Quanto mais sua marca for vista como uma variação de um personagem mítico, mais perto você estará de dar a sua marca uma persona ou rosto.

 

Os 12 arquétipos de persona são:

 

  1. Governante

 

  1. Criador / Artista

 

  1. Sábio

 

  1. Inocente

 

  1. Explorador

 

  1. Rebelde

 

  1. Herói

 

  1. Bruxo

 

  1. Bobo da corte

 

  1. Homem Comum

 

  1. Apaixonado

 

  1. Cuidador

 

Agora você sabe um pouco sobre o que é buyer persona e brand persona e como fazer uma e o porquê é importante para a sua empresa possuir uma. Se o seu time fizer a Buyer Persona e uma Brand Persona, sua empresa combinar essas duas estratégias ela estará com um prato cheio para se destacar entre os concorrentes. Comente embaixo o que achou dessa estratégia!

 

Artigo adaptado e inspirado de :

https://blog.hootsuite.com/buyer-persona/

https://www.vergemarketing.agency/blog/brand-persona

 

 

O que aprendemos nesse artigo:

O que é uma persona?

Persona é uma palavra que profissionais de marketing usam para designar uma pessoa fictícia, podendo representar o seu cliente ideal ou marca.

Minha empresa precisa de uma buyer persona?

Sim, sem ela sua ações em marketing digital estarão menos assertivas e gerando mais custos ao marketing, pois você pode estar vendendo para o cliente errado.

O que é brand persona?

É uma pessoa fictícia que representa a imagem da sua empresa, sendo ela quem irá falar com a Buyer Persona.

Por que eu preciso de uma brand persona?

A estratégia de brand persona irá tornar sua marca mais clara e coerente para o publico, fazendo ela ganhar mais força e capaz de criar clientes leais a sua marca.

 

  • Etapa 1

Quer saber mais sobre as nossas formações? Entre em contato!

Seu nome

Seu telefone

Seu e-mail

Formação de interesse

Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta