O que é SEO e como otimizar - Blog Harve

Compartilhe com seus amigos!

17 minutos de leitura

Esse guia será uma introdução e uma visão geral sobre o que é SEO (Search Engine Optimization) e como é importante esta tática para combinar com marketing digital para gerar tráfego no site da sua micro e pequena empresa.

 

Neste guia você irá aprender:

  1. O que é SEO e por que é importante?
  2. Boas práticas de pesquisa de palavra-chave de SEO e Segmentação por palavra-chave
  3.  Práticas recomendadas de otimização on-page

 

Vamos começar!

 

1. O que é SEO e por que é importante?

Se você não é um analista de marketing digital e nem atua em quaisquer outras funções que lide com SEO, provavelmente já se perguntou o que é SEO? Search Engine Optimization é o processo de otimizar páginas da web e seu conteúdo para serem facilmente descobertos pelos usuários que procuram conteúdos ou páginas que os interessam. O termo SEO também descreve o processo de facilitação de indexagem de páginas nos mecanismos de busca, os algoritmos que encontram, indexam e escaneiam seu site se chamam ”crawlers”.

 

Mesmo que o conceito de o que é SEO seja bem simples, muitos iniciantes em SEO ainda tem perguntas a respeito de seus detalhes, tais como:

 

  • Como você “otimiza” seu site ou o site da sua empresa para mecanismos de buscas?

 

  • Como você sabe quanto tempo investir em SEO?

 

  • Como você consegue diferenciar de “um bom” conselho de SEO de um “mal” conselho?

 

Talvez a característica mais importante da otimização de mecanismos de busca seja como você pode realmente aproveitar o SEO para ajudar a gerar mais tráfego, leads e vendas para o seu negócio.

 

Porque você deve se preocupar com SEO?

Bilhões de buscas são conduzidas online todo dia. Isso significa que existe uma imensa quantidade de tráfego com grandes chances de alguém estar procurando por um serviço ou produto que a sua empresa oferece.

 

Muitas pessoas pesquisam por produtos específicos e serviços com a intenção de pagar por essas coisas. Essas buscas são conhecidas por terem intenção comercial, o que indicam pelas pesquisas que eles querem comprar algo que você está oferecendo.

 

Pesquisa Google comprar carro - o que é seo blog

 

Uma consulta tipo “comprar carro” mostra claramente uma intenção comercial

 

As pessoas estão pesquisando por muitas coisas diretamente relacionadas ao seu negócio. Além disso, seus clientes em potencial estão procurando por todos os tipos de coisas que estão vagamente relacionadas ao seu negócio. Isso significa ainda mais oportunidades para se conectar com esse tipo de pessoa e ajudar a responder suas perguntas, resolver seus problemas, e se tornar uma fonte confiável para eles.

 

Você teria mais chance de comprar um aparelho de uma fonte confiável que te ofereceu ótima informação nas últimas 4 vezes que você pesquisou no Google, ou de alguém que você nunca ouviu falar?

 

O que realmente funciona para gerar tráfego de SEO dos motores de busca?

Ao tomar conhecimento de o que é SEO, é muito provavel que a palavra Google venha ser bastante mencionada pois o Google é o maior mecanismo de busca do mundo. E o seu uso pode variar de um setor para outro, mas é muito provável que o Google seja o player dominante do mecanismo de busca que você quer aparecer, mas as práticas recomendadas descritas neste guia irão ajudar você a posicionar seu site e conteúdo a ranquear em outros mecanismos de busca também.

 

Google domina as buscas no Brasil com 88,9% do mercado

 

Google domina entre os mecanismos de busca, mas não ignore outros mecanismos como Yahoo e Bing.

 

Então, como o Google determina quais páginas irão aparecer para os usuários? Como você consegue tráfego valioso para o seu site?

 

O algoritmo do Google é extremamente complexo, mas de alto nível:

 

  • O Google está procurando por páginas que contenham informações relevantes e de alta-qualidade para os usuários.

 

  • O algoritmo do Google determina a relevância lendo o conteúdo (usando uma AI chamada de “Crawler”) do seu site e avaliando (algoritmicamente) se esse conteúdo é relevante para a pessoa que está pesquisando, baseando-se nas palavras chaves contidas e outros fatores (conhecidos como “ranking signals”).

 

  • O Google determina a “qualidade” por diversos meios, mas os links apontando para o seu site – o número e a qualidade de outros sites que vinculam a sua página principal e site como um todo – está entre as mais importantes.

 

Cada vez mais, ranking signals adicionais estão sendo avaliados pelo o algoritmo do Google para determinar onde um site irá ranquear, como:

 

  • Como as pessoas interagem com um site (Eles estão achando a informação que eles precisam e se mantém no seu site ou eles “caem fora” do site, ou ignoram sua página nos resultados de busca e nunca chegam a realmente entrar no seu site?)
  • A velocidade de carregamento de um site e a sua “compatibilidade com o mobile”
  • Quanto conteúdo único um site tem (comparado com “conteúdo pequeno” ou duplicado, ou conteúdo de baixo-valor)

 

Há centenas de fatores de rankeamento que o algoritmo do Google considera, e o Google está constantemente atualizando e refinando o seu processo para que entregue a melhor experiência de usuário.

 

2.Boas práticas de pesquisa de palavra-chave SEO e Segmentação por palavra-chave

Agora que você sabe o que é SEO de um modo geral, agora é hora de otimizar, e o primeiro passo na otimização para mecanismos de busca é determinar o que você realmente está otimizando. Isso quer dizer, identificar os termos que as pessoas estão procurando, chamados também de “palavras-chaves”, que você quer que o seu site ranqueie nos mecanismos de busca tipo o Google.

 

Por exemplo, você talvez queira que sua empresa de venda de bolos apareça quando as pessoas procurarem por bolos, e também quando eles escreverem coisas como “encomendar bolos” A imagem abaixo mostra o volume de busca, ou o número estimado de pesquisas por um termo em específico, durante o período de tempo:

 

comprar carro pesquisa trends

 

Rastreando palavras-chaves durante vários períodos de tempo.

 

Existem vários fatores chaves para se levar em conta quando determina-se as palavras chaves que você quer segmentar no seu site.

 

  • Volume de busca – O primeiro fator a considerar é quantas pessoas estão realmente procurando por tal palavra-chave. Quanto mais pessoas procurarem por uma palavra-chave, maior será o público alvo que você pode alcançar. Por outro lado, se ninguém estiver procurando por uma palavra-chave, não haverá público disponível para encontrar seu conteúdo através das buscas.

 

  • Relevância – Um termo pode ser procurado com frequência, mas não necessariamente significa que é relevante para os seus potenciais clientes. A relevância da palavra-chave, ou seja, a conexão entre o conteúdo de um site e a consulta de pesquisa do usuário, é um grande ranking signal!

 

  • Competição – Palavras-chaves com grande volume de busca podem gerar uma quantidade significativa de tráfego, mas a competição pela as primeiras posições nas páginas de resultados nos mecanismos de busca pode ser intensa.

 

Primeiro você precisa entender quem seus potenciais clientes são e o que eles estão provavelmente pesquisando. Partindo daí você precisa compreender:

 

  • Quais tipos de coisas eles estão interessados?

 

  • Quais problemas eles têm?

 

  • Qual tipo de linguagem eles usam para descrever o tipo de coisa que eles fazem, as ferramentas que eles usam, etc.?

 

  • De quem mais eles tão comprando as coisas?

 

Uma vez que você responder essas perguntas, você terá uma lista chamada de “seed list” (lista inicial), uma lista de potenciais palavras-chaves e domínios para ajudar você a encontrar ideias de palavras-chaves adicionais e descobrir o quão competitivo está o terreno.

 

Pegue a lista das principais maneiras que seus clientes e clientes em potencial descrevem o que você faz, e comece a inseri-las em ferramentas de palavras-chave como a própria do Google ou ferramentas de SEO como o Ubersuggest do NeilPatel!

 

Ubersuggest análise de palavra-chave

 

Ferramenta de SEO gratuita: Ubersuggest 

 

Além disso, se você já possui um site, você provavelmente já está conseguindo tráfego dos mecanismos de busca. Se isso for o caso, você pode usar os dados de suas próprias palavras-chave para te ajudar a entender quais palavras-chave estão gerando tráfego (e quais você poderá ranquear um pouco melhor).

 

Infelizmente, o Google parou de dar muitas das informações sobre o que as pessoas estão procurando no analytics. O Google disponibiliza alguns desses dados em seu gratuito Google Search Console (se você ainda não fez sua conta, esta é uma ferramenta de SEO valiosa para revelar dados de pesquisa e para diagnosticar vários problemas técnicos de SEO).

 

Uma vez que você tomou seu tempo para saber o que é SEO, entender os seus potenciais clientes, verificou as palavras-chave que direcionam tráfego para seus concorrentes e sites relacionados, e olhou os termos que estão gerando tráfego para o seu próprio site, você precisa trabalhar para entender quais termos podem ser escolhidos para ser rankeados e onde estão as melhores oportunidades.

 

Determinar a competição relativa de uma palavra-chave pode ser uma tarefa um pouco complexa. Em um alto-nível, você precisa entender. 

 

  • Quão confiável é o site e a sua autoridade de domínio (em outras palavras: quantos links o site tem e o quão alto é a qualidade, confiabilidade e relevância desses sites que estão fazendo referência a ele?).

 

  • Quão bem alinhado com a palavra-chave eles são (eles oferecem uma boa resposta para aquela pergunta do usuário)

 

  • Quão popular e autoridade cada página naquele resultado de busca tem (em outras palavras quantos links aquela página tem, e o quão de alta-qualidade, confiável e relevante são esses sites linkados?)

 

3.Otimização SEO On-page

Uma vez que você tem a lista de palavras-chaves, o próximo passo é realmente implementar as suas palavras-chave escolhidas no conteúdo do seu site. Cada página no seu site deve escolher um termo principal para fazer uso, e também outros termos relacionados. Em sua visão geral do o que é SEO perfeitamente otimizado em uma página, Rand Fishkin mostra como uma página bem (ou perfeitamente) otimizada aparenta ser:

 

página otimizada google moz

 

Vamos dar uma olhada em alguns elementos on-page básicos e importantes que você irá provavelmente querer saber se você pensa em gerar tráfego para o seu site.

 

 

Title Tags

Enquanto o Google trabalha para melhorar a compreensão do real significado de uma página e diminuir (até mesmo punir) usos trapaceiros de palavras-chave, incluindo o termo (e termos relacionados). O lugar mais impactante onde você pode colocar sua palavra-chave é o title tag da sua página.

 

O title tag não é o título principal da sua página. O título que você vê na sua página é geralmente um H1 (ou possivelmente um H2) no qual é um elemento HTML. O title tag é o que você vê no topo do seu navegador, e é inserido pelo código-fonte da sua página em uma metatag:

 

Onde ver o título da página - SEO

 

Seu title tag corresponde ao título de seu resultado orgânico nos mecanismos de busca: torne-o atrativo para conseguir cliques.

 

O comprimento de um title tag que o Google irá mostrar irá variar (é baseado em pixels, não em contagem de caracteres) Mas em geral um limite de 55-60 caracteres é uma boa regra a se seguir. Se possível priorize em colocar sua palavra-chave como title tag, e se você puder fazer isso de uma forma natural e atraente, adicione alguns modificadores relacionados ao termo também. Mas tenha em mente: o title tag será frequentemente o que o usuário irá ver nos resultados de busca. É o título do seu site nos resultados de busca orgânicos, então você deve levar em conta o quão atraente é o seu title tag para ser clicado pelas pessoas.

 

Meta Descrições

Enquanto title tag seja de fato o título do seu site que aparece nos resultados de pesquisa, a meta descrição (um outro elemento meta HTML que pode ser atualizado no code do seu site, mas não é visto na sua página de verdade) é de fato uma espécie de anúncio em copywriting do seu site. O Google toma algumas liberdades a respeito do que eles mostram nos resultados de busca, então sua meta descrição talvez nem sempre apareça, mas se você tiver uma descrição atraente que talvez faça com que as pessoas pesquisando de fato cliquem, você pode aumentar bastante o tráfego do seu site. (lembre-se: aparecer no resultado de buscas é apenas o primeiro passo! Você ainda precisa fazer com que usuários venham para o seu site, para então fazer eles tomarem a decisão que você quer.)

 

Aqui um exemplo de uma meta-descrição real aparecendo nos resultados de busca

 

Exemplo de meta-descrição

 

Meta-descrição é o “anúncio em formato de copywriting” do mundo do SEO.

 

Corpo de conteúdo

O conteúdo de fato da sua página é em si mesmo muito importante. Diferentes tipos de páginas terão diferentes propósitos – seu conteúdo principal que você quer que muitas pessoas acessem precisa ser bem diferente do seu conteúdo de suporte no qual você quer que seus usuários encontrem e consigam uma resposta rápida. Isso dito, o Google tem gradativamente favorecido certo tipos de conteúdo, e conforme você monta quaisquer das páginas do seu site, há algumas coisas para se ter em mente:

 

  • Conteúdo denso e único – Não há número mágico quando se falamos de quantidade de palavras, e se você tiver conteúdos em seu site com somente um punhado para algumas centenas de palavras, você não cairá na graça do google, mas em atualizações recentes do Panda, em geral o Google favorece um conteúdo mais denso e único. Se você tem um grande número (pense na casa dos mil) de páginas extremamente curtas (50-200 palavras de conteúdo) ou páginas de conteúdo duplicado onde nada muda exceto pelo title tag da página e um parágrafo de texto, isso poderia te meter em encrenca. Observe todo o seu site: seria uma grande parcela das suas páginas com pouco conteúdo, duplicadas e de baixo valor? se for o caso, pense em uma forma de engrossar essas páginas, ou cheque seu analytics para ver o quanto de tráfego estão recebendo essas páginas, e basicamente exclua essas páginas (usando um metatag de não indexamento) dos mecanismos de busca para evitar que fiquem aparecendo nos resultados do google.

 

  • Engajamento – Google está cada vez mais pesando métricas de engajamento e de experiência do usuário de forma mais pesada. Você pode impactar isso garantindo que o seu conteúdo responda as perguntas que os usuários estão procurando para que eles provavelmente fiquem na sua página e engajem com o seu conteúdo. Assegure também que suas páginas estão carregando rapidamente e não tenha elementos de design que incomodam(tais como propagandas extremamente agressivas em cima do conteúdo) que provavelmente irá desanimar os usuários de ficarem no seu site.

 

  • Compartilhamento – Nem todo conteúdo do seu site será compartilhado e linkado centenas de vezes. Mas da mesma forma que você deseja ter cuidado para não lançar grandes quantidades de páginas com conteúdo curto, você deve considerar quem provavelmente compartilharia e “linkaria” as novas páginas que você está criando no seu site antes de publica-las. Ter grandes quantidades de páginas que provavelmente não irão ser compartilhadas ou linkadas isso não influência bem para o ranqueamento delas no google, e não ajuda criar uma boa imagem do seu site como um todo nos mecanismos de busca.

 

Atributos Alt

A maneira como você marca as suas imagens podem impactar não somente a maneira como mecanismos de busca percebem sua página, mas também quanto tráfego de busca por pesquisa de imagem seu site gera. Um Atributo alt é um elemento HTML que permite você colocar informação alternativa em uma imagem caso uma pessoa não consiga vê-la. Suas imagens talvez quebrem com o tempo (arquivos são deletados, usuários tem dificuldade em conectar com o seu site, etc.) então ter uma descrição útil da imagem pode ajudar bastante em uma perspectiva geral de usabilidade. Isso também te dá uma outra oportunidade – fora do seu conteúdo – para ajudar mecanismos de busca entender do que se trata a sua página.

 

Você não irá querer “palavra-chavear as coisas” e enfiar a sua palavra-chave principal em cada variação possível dela em seu atributo alt. Na verdade, se não se encaixa naturalmente na descrição, não inclua a palavra-chave. Só certifique-se de não pular o atributo alt, e tente dar uma descrição completa e precisa da imagem (imagine que esteja tentando descrever para alguém que não consegue enxergar – e para isso que existe isso).

 

Ao escrever naturalmente a respeito do seu tópico, você está evitando os filtros de excesso de otimização (em outras palavras: você não irá parecer que está tentando enganar o Google para te ranquear melhor na sua palavra-chave escolhida) e aposte em ranquear para uma variação da palavra-chave principal, uma variação de “cauda longa”.

 

Estrutura do URL

A estrutura do URL do seu site pode ser importante tanto para traçar de onde vem o trafégo (você pode segmentar dados com mais facilidade em relatórios usando uma estrutura de URL segmentada e organizada logicamente) quanto do ponto de vista de compartilhamento (URLs mais curtos e descritivos são mais fáceis de copiar e colar e tendem digitados erroneamente com menos frequência). Novamente: não tente ficar forçando o máximo de palavras-chaves possíveis; crie um URL curto e descritivo.

 

Além disso: se você não precisa, não mude os seus URLs. Mesmo que os seus URLs não sejam “bonitos”, se você não sente que está impactando negativamente nos usuários e no seu negócio em geral, não os mude para ficarem mais focados na palavra-chave  “para melhor seo”. Se você PRECISA mudar a estrutura do seu URL, certifique-se de usar o tipo de redirecionamento adequado (301 permanente). Esse é um erro comum que empresas fazem quando eles refazem o seus websites.

 

Schema & Markup

Finalmente, depois de cuidar de todos os elementos on-page padrões, você pode considerar ir mais a frente e ajudar o Google (e outros mecanismos de busca, que no qual também reconhecem scheme) a entenderem sua página.

 

Schema & Markup não fazem que suas páginas ranqueie melhor nos mecanismos de busca (atualmente não é um fator de ranqueamento). Ele com certeza dá um “charme” adicional nos resultados de busca, da mesma forma que as extensões de Ad dão para o AdWords Ads.

 

Em alguns resultados de busca, se ninguém estiver usando schema, você pode conseguir uma boa vantagem em Click-through Rate (CTR) pelo fato de seu site estar mostrando avaliações enquanto os outros não estão. Em outros resultados de buscas, onde todo mundo está usando Schema, ter avaliações pode ser necessário e omitir pode acabar prejudicando seu CTR:

 

Exemplo de Schema

 

Agregue aos seus resultados orgânicos mais relevância ao colocar Schema & Markup

 

Existe uma variedade de diferentes tipos de Markup que você pode incluir no seu site – a maioria não será aplicável ao seu site, mas é provável que uma markup será aplicada em pelo menos algumas das páginas do seu site.

 

Artigo adaptado e inspirado de: https://www.wordstream.com/seo

 

  • Etapa 1

Quer saber mais sobre as nossas formações? Entre em contato!

Seu nome

Seu telefone

Seu e-mail

Formação de interesse

Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta