Google Ads x Facebook Ads: o duelo pelos seus investimentos

Compartilhe com seus amigos!

10 minutos de leitura

Não há dúvida que Google e Facebook dominam o mercado de publicidade online. Não à toa: a internet como conhecemos hoje foi moldada por estas duas empresas, que agora, detém de um público grande e ativo no mundo todo, e com isso, criaram duas das principais plataformas de publicidade online, obtendo as duas juntas, a fatia generosa de 60% do mercado de publicidade online.

 

Hoje vamos entrar mais a fundo de como estas duas plataformas funcionam, suas diferenças e semelhanças para que você possa tomar decisões mais assertivas sobre seus investimentos.

 

Google: do nascimento ao hoje

tela inicial do google em 1998

Aparência do Google em 1998

 

 

O Google foi fundado em 1998 e chegou revolucionando a maneira como eram categorizados os resultados de buscas em seu buscador e a maneira com que as pessoas buscam informações.

 

Com isso, se aproveitou da imensa base de dados para a criação de uma plataforma de anúncios baseada nas palavras-chave de buscas.

 

Anúncios segmentados na hora em que o público-alvo está à procura do produto ou serviço e mensuração quase que total através de métricas de desempenho e conversão para os seus anunciantes. Perfeito.

 

O Google registrou US$ 30,74 bilhões de lucro líquido em 2018, o que representa um crescimento de 142% em relação ao ano anterior.

 

Facebook: do nascimento ao hoje

Aparência do Facebook em 2004

Facebook em 2004

 

Já a plataforma do Facebook foi fundada em 2004 e ao longo dos anos, o Facebook Ads foi se transformando em uma poderosa ferramenta de segmentação e base de dados para anunciantes do mundo todo.

 

Uma rede social no qual os dados demográficos e de comportamento de seus usuários são postos à disposição de anunciantes para a segmentação de seus anúncios de produtos e serviços.

 

De janeiro a dezembro de 2018, a receita do Facebook foi de R$ 55,8 bilhões.

 

Entendendo as plataformas

São números realmente grandes e não podemos negar a importância que estas duas ferramentas tem hoje no mercado de anunciantes na internet.

 

Porém, nos últimos anos alguns problemas atingiram estas duas plataformas, que fizeram com que, principalmente os anunciantes iniciantes tivessem algumas dificuldades para obter resultados satisfatórios. Isso, por muitas vezes, desacreditam alguns de que elas realmente consigam trazer resultados saudáveis.

 

Neste artigo, vamos trazer as principais diferenças entre elas e os cuidados com que você deve se atentar na hora de escolher e configurar campanhas para cada tipo de plataforma, para que você cada vez mais consiga otimizar seu investimento e consiga trazer resultados saudáveis para o seu negócio.

 

Google Ads

Google Ads: dashboard da plataforma.

Google Ads: dashboard da plataforma.

 

Bem, já demos uma pincelada da principal característica da ferramenta do Google no início do artigo.

 

Agora, vamos entrar nos principais aspectos para um anunciante levar em consideração na hora de escolher ou não o Google Ads, e se escolher, o que deve ser levado em consideração na hora de mensurar os resultados.

 

Google Ads: ferramenta de demanda

O Google Ads possui uma característica muito importante que o diferencia do Facebook Ads: o seu aspecto de demanda.

Cale a boca e pegue o meu dinheiro

 

Ou seja, o usuário vai ao encontro do produto ou serviço através da busca pela palavra-chave, embora o Google Ads contenha tipos de anúncios que fogem um pouco a essa regra, como os anúncios em display, os quais são inseridos em sites que os usuários estão acessando ativamente.

 

Por isso, o Google Ads é uma ferramenta poderosa para encontrar potenciais clientes que estejam dispostos a comprar seu produto de imediato, ou se não, em um curto prazo de tempo.

 

É mais ou menos o que chamamos de clientes em final de funil, o qual eles já sabem o que querem e estão em fase de decisão ou pesquisa sobre a compra.

 

Claro que, existem palavras-chave as quais são de início de funil, onde os usuários buscam por uma informação sobre algum produto ou serviço ou fazem pesquisas iniciais de processo de compra.

 

Neste caso, a qualidade do potencial de compra tanto do usuário buscando um produto quanto um usuário buscando informações é grande, ou seja, a qualificação destes usuários é alta.

 

Custo Alto

Essa qualificação tem um preço. O custo por clique nas palavras-chave aumentou consideravelmente de alguns anos para cá, puxados principalmente pelo sistema de leilão da ferramenta e logicamente, pela concorrência ter aumentado consideravelmente com a migração de investimentos dos meios offline para os meios online.

 

Por exemplo, existem palavras-chave hoje como “desentupidora na mocca” que pode chegar, pasmem, a R$98,15 o clique! Aqui fica claro três coisas: a questão da concorrência, o inflacionamento do mercado com base em um produto com um custo por investimento e ainda o senso de urgência de um serviço como uma desentupidora. Mocca é um bairro conhecido na cidade de São Paulo, capital da maior cidade do Brasil. Isso já deixa claro o nível de concorrência que estamos lidando aqui.

 

Segundo é a questão do custo por um serviço como uma desentupidora: para desentupir um esgoto por exemplo, o preço pode chegar até R$1.000,00 dependendo do tamanho do problema. Concordamos que R$1.000,00 por um serviço com um custo de mídia de R$98,15 é um bom preço. Aliado a isso, o senso de urgência é muito forte juntamente com o cheiro que causa um entupimento e a rapidez com o qual queremos resolver tal problema.

 

Então, cada negócio terá a sua variável, o seu custo por clique de palavra-chave e uma explicação plausível para o valor daquela palavra-chave.

Plataforma mais inteligente

Campanhas precisam de um certo tempo de aprendizado inicial para que a ferramenta possa aprender sobre como o público interage com seus anúncios e adeque a relação da frequência, alcance e objetivo traçado para que os anúncios sejam mostrados para o público certo.

 

Do mesmo modo que uma campanha é exposta a um período de aprendizagem, a plataforma e seus algoritmos como um todo também passaram por este processo.

 

A plataforma do Google passou pela sua fase juvenil, onde era muito mais difícil encontrar coesão na estratégia traçada e no que realmente acontecia na plataforma e agora está entrando em uma fase mais adulta, inteligente, onde a ferramenta consegue cada vez mais entregar seus anúncios para o público certo e na hora certa.

 

Google Ads: mais assertividade, mas fique atento ao custo

O Google consegue através de suas palavras-chave, leitura e sites parceiros do adsense e youtube ter uma plataforma mais diversificada quando o assunto é atingir o público certo.

 

Porém, o custo de algumas palavras-chave tornam-se inviáveis para alguns anunciantes.

 

Se você está seguro quanto aos seus investimentos na plataforma e conseguiu identificar que seu público utiliza a plataforma Google, não tenha dúvidas de que fazendo tudo de maneira profissional, será um canal excelente para os seus objetivos.

 

Facebook Ads: ferramenta de oferta

Facebook Ads: plataforma da ferramenta

Facebook Ads: plataforma da ferramenta

 

A plataforma de anúncios do Facebook conseguiu uma façanha grande: ultrapassar a plataforma do Google no que se refere a quantidade de investimento dos anunciantes nas plataformas online. Uma ampliação grande dos seus produtos como a aquisição do Instagram e Whatsapp foi fator primordial para o crescimento da fatia do mercado.

 

Como já falado, a ferramenta do Google é essencialmente de demanda, ou seja, os usuários mais “prontos” e em fase de pesquisa ou decisão de um determinado produto ou serviço procuram ativamente por eles. A abertura destes usuários é muito maior para a propaganda, se o público correto está sendo atingido com um produto ou serviço que possa suprir suas necessidades.

 

O Facebook por sua vez é um canal no qual o anunciante vai ao encontro de um público mais amplo que não está de fato procurando por um produto ou serviço, mas que insinua, por suas ações e interesses, que pode estar aberto a tal produto ou serviço.

Faça-me uma oferta que eu não possa recusar

Faça-me uma oferta que eu não possa recusar

 

 

É um público muito mais difícil de ser cativado por alguma oferta ou anúncio e demanda um poder de convencimento maior. Mas o que seria ter um poder de convencimento maior? Isso está muito atrelado ao poder criativo e a uma oferta realmente vantajosa e convincente de que aquilo é realmente uma oportunidade única para o público.

 

Chamar a atenção no Facebook é um processo muito mais difícil do que no Google, já que o usuário não está apresentando nenhuma ação que possa dar a entender que ele está buscando uma solução de algum problema.

 

É essencial um trabalho muito bem feito de conhecimento do público e elaboração da segmentação dos anúncios.

 

Isso combinado com uma oferta ou produto vantajoso e um anúncio que chame a atenção com uma boa construção de imagem de texto pode de fato trazer o seu público até você.

 

Facebook Ads: público mais amplo, porém, um custo menor

É muito importante entender que na plataforma do Facebook você irá precisar ter um esforço maior de garimpo para encontrar seu público correto. Deste modo, os custos do Facebook são mais baratos, porém, não é regra, dependendo de cada mercado.

 

Da mesma forma que se tem um público mais amplo, os custos, por vezes, podem ser grandes com um retorno baixo se as campanhas não estiverem devidamente segmentadas.

 

Se você entende bem seu público, identificou ele nas segmentações do Facebook e tem uma boa campanha criativa para alcançá-los, o Facebook é uma plataforma muito indicada para os seus objetivos.

 

Só a ponta do Iceberg

Só a ponta do Iceberg no Marketing Digital Só a ponta do Iceberg no Marketing Digital

 

Google e Facebook completam um caminho no marketing digital: trazer seu público até você. O que acontece depois?

 

O seu site ou landing page está muito bem construído? O caminho até suas conversões está fácil e intuitivo? Você possui um trabalho de e-mail marketing? Como está o seu pós-venda e encantamento do cliente?

 

O marketing digital não é lugar para aqueles que desejam fazer as estratégias sem se preocupar com os detalhes.

 

Um caminho errado, uma url que não esteja funcionando, um formulário ou um botão que deveria estar pegando e não está pode arruinar toda a jornada do cliente até a compra.

 

Google Ads e Facebook Ads em prol do seu objetivo

Google Ads e Facebook Ads em prol do seu objetivo

 

Não existe uma ferramenta melhor do que a outra. Cada uma tem sua particularidade que irá se encaixar ou não em determinada fase do seu projeto.

 

Defina muito bem os passos anteriores, entendendo o marketing digital como um todo, para que aí então você possa investir na obtenção de tráfego para o seu negócio, a fim de que a conexão do seu público com você seja natural e você consiga obter seus tão esperados resultados tanto no Google quanto no Facebook.

  • Etapa 1

Quer saber mais sobre as nossas formações? Entre em contato!

Seu nome

Seu telefone

Seu e-mail

Formação de interesse

Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta